Campanhas em Acção

Estimados Amigos,

Em 1943 Raoul Follereau pedia a cada pessoa que consagrasse pelo menos uma hora por ano do seu salário, rendimentos ou lucros, no alívio dos infelizes. Nascia assim A HORA DOS POBRES.
“Gesto simples, fácil de pôr em prática, ao alcance de todos, mas que tem em si um significado impressionante.

Não se trata, realmente, de uma nota que tiramos distraidamente da carteira para nos vermos livres de um pedinchão. Dar uma hora – ou mais – por ano aos pobres é, antes de mais, dedicar-lhes uns momentos da nossa vida, pensar neles, consagrar-lhes o nosso trabalho. É UMA HORA DE AMOR”.
Os casos de pobreza extrema, tão reais e presentes nos nossos dias, revelam-se cruelmente dramáticos dentro do próprio drama, onde lhes falta tudo e a quem tudo lhes é retirado, até o afecto.

Unidos ao Papa Francisco, que instituiu o Dia Mundial dos Pobres, este ano sob o tema «A esperança dos pobres jamais se frustrará», procuremos ser solidários neste gesto simples e sentido de oferecer UMA HORA aos mais necessitados.

Contribua para os projectos da APARF, através da Conta APARF nº 0557030331431 (CGD – Olivais/Lisboa) – IBAN: PT50 0035 0557 0003 0331 43165