PROJECTOS APOIADOS PELA APARF EM 2022

Angola

Angola

Projecto para acudir a situações mais dramáticas com a entrega de 2 refeições por semana, a 75 pessoas, distribuição de cesta básica, suplementos vitamínicos, sabão e alguns medicamentos.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.

As Irmãs Vitorianas na sua Casa de Lubango partilham diariamente uma refeição com 20 pessoas pobres. Os efeitos da seca, que dura há 2 anos, são devastadores na agricultura e gado, gerando muita fome. Mandaram fotos e vídeos. No Dia Internacional dos Pobres, em resposta ao apelo do Papa, decidiram começar a confeccionar o almoço para 150 idosos e crianças desnutridas… num desses sábados forneceram alimento a 600 pessoas.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.

Kenya

Quénia

A Missão Amakuriat, no Quénia, foi fundada pelos Missionários Combonianos em 1984, numa zona semi-árida, é dirigida por 2 Combonianos e conta com 23 escolas primárias e 2 secundárias. O pedido chega-nos através do e-mail do Provincial em Nairobi para fazer face à fome provocada pela seca pois não têm qualquer ajuda estatal ou do Programa Mundial de Ajuda Alimentar. Pretendem dar refeições aos estudantes das escolas da missão e combater o abandono escolar.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 9.000,00€.

Madagascar

Madagáscar

O senhor Bispo de Madagáscar pede-nos ajuda para compra de uma viatura para o Centro de Hanseníase de Maroavhy, na sua Diocese, que é gerido por uma irmã enfermeira. Este Centro de Saúde trata doentes de lepra, tuberculose (doença que aumentou muito em Madagáscar), malária, tifo e cólera. O carro que pretendem comprar é para serventia do normal funcionamento do Centro e da maternidade, mas também, como acontece frequentemente em África, para servir de ambulância e transportar doentes e familiares para os hospitais e centros de saúde.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 15.000,00€.

Mozambique

Moçambique

O P. Ricardo Marques, Missionário da Boa Nova, a trabalhar na Paróquia de Maria Auxiliadora, em Pemba, solicita apoio à APARF para continuar o projecto “Nova Esperança”. Este projecto é de apoio alimentar, médico e medicamentoso a crianças cujas mães doentes não têm possibilidade de amamentar (mães com HIV, Lepra, Cólera, Malária e outras doenças endémicas e infecto-contagiosas).

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 7.000,00€.

O P. Ricardo Marques, Missionário da Boa Nova, a trabalhar em Pemba, solicita renovação do apoio à APARF para continuar a apoiar cerca de 100 famílias nos bairros mais pobres da cidade. Iniciativa paroquial, apoiada pela APARF desde 2016, é fundamental para famílias com doentes de HIV, lepra, hepatite, diabetes, tuberculose, cólera, malária e outras, desempregadas e com grandes dificuldades em poderem trabalhar ou arranjar trabalho.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 10.000,00€.

“Medicina Maia Perto Moçambique” é um Projecto da Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina de Lisboa, de voluntariado internacional na área da saúde. Em 2022 querem voltar de novo a Moçambique. Na província da Matola, em Maputo, trabalham em parceria com associações locais contribuindo para a formação, capacitação e desenvolvimento da população, sobretudo na área da saúde. Solicitam à APARF, pelo sexto ano consecutivo, o apadrinhamento do projecto para alguma das parcelas definidas no orçamento para compra de medicamentos e material médico na sua missão.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 2.500,00€.

A Congregação das Irmãs de S. José de Cluny, solicita à APARF a renovação do projecto “Alimentação das crianças do Infantário/Orfanato de São José de Cluny” em Tete. O Infantário de S. José de Cluny, assim registado a pedido do Governo Provincial, acolhe cerca de 1 centena de crianças órfãs e abandonadas, das quais muitas com problemas de saúde (HIV-Sida).

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba solicitada 7.500,00€.

O Fr. Boaventura, do Instituto dos Pobres de Jesus Cristo, trabalha na aldeia de Mazeze/Chiúre, envia-nos um pedido de renovação de ajuda para as necessidades primárias no atendimento nas áreas da saúde e aleitamento de crianças. Para poder continuar a apoiar as crianças e famílias, não referindo qualquer valor ou orçamento, pedem a ajuda que for possível.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 3.500,00€.

A enfermeira Estrella Arjomil Soto desenvolve em Pemba o trabalho de diagnóstico e tratamento de doentes de lepra, em sintonia com a Direcção Provincial de Combate à Lepra. Percorre as comunidades em Cabo Delgado para identificar novos casos e acompanha os doentes no seu tratamento.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 33.000,00€.

As Irmãs Dominicanas estão a trabalhar nas Mahotas, um dos bairros mais pobres periféricos de Maputo, onde existe muita pobreza e inúmeras carências.

Fazem um pedido de apoio a bolsas de estudo para 2 Irmãs da Congregação se licenciarem na área da saúde (saúde pública e psicologia clínica).

Tratando-se de formar pessoas na área da saúde, em Moçambique, e sendo da Congregação deverão exercer em prol da comunidade a Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.072,00€.

A obra da Associação Capulana está implantada em Maputo. Foram construídas as infra-estruturas básicas necessárias de apoio ao centro de saúde e da escola, como uma cozinha e um refeitório. Cresceu, construíram uma creche, um berçário, uma nova cozinha e um novo refeitório. Pedem apoio para garantir uma refeição diária para cerca de 345 crianças das Esc. das Aldeias.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 6.000,00€.

A Paróquia de Santa Cecília de Ocua, onde a APARF financiou a construção do Centro de Saúde, dada a sua extensão foi dividida em duas, tendo nascido uma nova, em Namogelia. Já tem algumas infra-estruturas, como a casa paroquial e estão a construir um pavilhão polivalente.

“O posto Administrativo de Namogelia tem cerca de 100km, com acesso em terra batida, sem energia eléctrica e com cerca de 20.000 habitantes.

As comunidades vivem da agricultura de subsistência com a produção de milho, mandioca e algodão.”

Solicitam à APARF apoio para a construção de um furo de captação de água, com bomba manual, a instalar na sede da Paróquia e que sirva toda a comunidade.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 7.000,00€.

O P. Alberto Tchindemba, Missionário Espiritano, pede a renovação do projecto para apoio alimentar para as crianças da Escola São João de Deus em Nampula. Trata-se de um lanche escolar para 900 crianças da 1ª à 6ª classe.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.

Portugal

Portugal

A Paróquia de Santo António dos Cavaleiros está inserida numa zona periférica de Lisboa com grande concentração de pessoas com emprego precário, desempregados, imigrantes e famílias numerosas e disfuncionais. A toxicodependência está muito presente e é uma das grandes preocupações da acção social dada a quantidade de crianças e jovens que após a escola ficam entregues a si mesmos. Muito do emprego que existe é na construção civil, para os homens, mas sem vínculo, e de empregadas doméstica para as mulheres, algumas horas em cada casa, também sem vínculo. “A pandemia” veio dispensar muitos destes trabalhadores privando-os do sustento. Apoia uma população de 450 crianças, 400 jovens e 375 adultos com cabazes e refeições diárias, farmácia e despesas domésticas. É solicitado apoio ao abrigo do “Programa de Apoio em Portugal Covid-19”, aprovado pela Direcção da APARF, conforme acta 361, de 19 de Maio de 2020.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 2.500,00€.

A Paróquia de S. Julião de Frielas também está a cargo do Pe. Agostinho Castro, Carmelita. Inserindo-se na mesma zona geográfica de Sto. António dos Cavaleiros tem os mesmos problemas sociais, carências e dificuldades. É um bairro com muita pobreza. A paróquia tem, desde sempre, uma acção social muito activa dada a pobreza, extrema de uns e outra encoberta, de muita da população aqui residente. O Pe. Agostinho, através da acção social da paróquia, tem referenciadas, nesta situação, 200 crianças, 223 jovens e 314 adultos. É solicitado apoio ao abrigo do “Programa de Apoio em Portugal Covid-19”, aprovado pela Direcção da APARF, conforme acta 361, de 19 de Maio de 2020.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 2.500,00€.

A Conferência de S. Vicente de Paulo presta auxílio a 231 pessoas da cidade de Ermesinde na compra de medicamentos e bens essenciais. Em casos mais graves, paga as facturas da farmácia, água, electricidade e gás.

Todas as famílias apoiadas estão sinalizadas pelas assistentes sociais da Junta de Freguesia de Ermesinde, da Câmara Municipal de Valongo e da Segurança Social.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 750,00€.

Os Missionários Combonianos que se encontram nas paróquias de Apelação e Camarate pedem apoio para as famílias dos bairros periféricos das paróquias, maioritariamente constituídas por imigrantes que vivem com muitas carências. “A situação das pessoas que acompanhamos tem-se agravado substancialmente devido aos dois últimos anos de estado de emergência. Muitas dessas pessoas perderam os seus empregos ou estão em condições cada vez mais precárias, necessitando urgentemente de alimentos, medicamentos e outros bens essenciais.” Atendem semanalmente 86 famílias.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.

SaoTomePrincipe

S. Tomé e Príncipe

A “Casa dos Pequeninos” é um orfanato construído e gerido pela Cáritas da Diocese de S. Tomé e Príncipe cujo objectivo é acolher crianças abandonadas, vítimas de maus-tratos e órfãs. Foi fundada na década de 90 do séc. XX e funcionou, até ao final de 2017, na sede da Cáritas Diocesana, data em que adquiriu um terreno e construiu novas instalações. Em regime de internato, actualmente tem 40 crianças, dos 6 meses aos 14 anos de idade. Em Julho de 2019 a APARF visitou a Obra, contactámos com dirigentes e crianças e constatámos o bom funcionamento e prudente gestão das verbas recebidas.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 10.000,00€.

 

É um Centro de Dia que fornece diariamente uma refeição quente a 47 idosos muito pobres (“Prato Quente” – durante os cinco dias da semana e pequenos cabazes que levam para o fim de semana), proporcionar-lhes acompanhamento médico e medicamentoso. Aqueles que pela incapacidade de mobilidade já não podem deslocar-se ao Centro, são visitados nas suas casas e leva-se-lhes o que mais precisam. São idosos que já não podem sobreviver pelos seus próprios meios devido à idade, à doença e à situação de abandono.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 8.500,00€.

A Paróquia da Sé, no centro da cidade de São Tomé, criou uma cantina social. Tem sido possível mantê-la com a generosidade de particulares e da Cáritas Paroquial. Com a crise instalada pela pandemia as dificuldades agravaram-se, os apoios diminuíram e os utentes são cada vez mais.

Pretendem dar 3 vezes por semana uma refeição quente a idosos desvalidos e sem-abrigo no centro da cidade de São Tomé.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 7.500,00€.

O Centro Comunitário da Trindade, em S. Tomé e Príncipe, acolhe diariamente 120 pessoas (crianças, funcionários da escola e Centro de dia e idosos). Pelo aumento de utentes necessitam de fazer 2 casas de banho que lhes permita melhorar a higiene (WC’s) e limpeza dos espaços contíguos (que agora são utilizados para as necessidades fisiológicas) e assim reduzirem o risco de contrair doenças como tifo, cólera e outras.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.

Em 2017 a APARF apoiou um projecto de captação e armazenamento de água, para abastecimento do centro Comunitário e da Escolinha, da Fundação Claret. Pedem agora ajuda para cuidar da saúde dos 112 utentes da Casa Claret, com abastecimento de água limpa, própria para consumo.

Pedem apoio para instalar um sistema de filtragem de água e melhorar a sua qualidade, para beber e cozinhar, e assim evitarem doenças como diarreias e tifo.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 1.000,00€.

As Irmãs Maria do Rosário e Luísa Josefa, Teresianas em S. Tomé, solicitam à APARF a renovação da ajuda para a manutenção dos Centros Teresianos de Formação Feminina nas duas comunidades – cidades de S. Tomé e de Angolares.

Visando a promoção humana da população, através da formação feminina, dão casa e alimentação a 25 meninas dos 11 aos 19 anos de idade, provenientes das zonas mais pobres da ilha, das roças e sem transporte.

Para que possam ter rendimento escolar, a par da formação humana e cívica, as casas das Irmãs são os únicos lugares para ter alimentação, cuidados de saúde, higiene e albergue.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 7.000,00€.

Sudao do Sul

Sudão do Sul

A Irmã Joana Carneiro, Missionária Comboniana no Sudão do Sul, é médica a trabalhar no Hospital Católico de São Daniel Comboni, em Wau, administrado pela Congregação e onde se depara com doentes de lepra.

O apoio será para suporte médico hospitalar, transporte e alimentação de pacientes que tenham feridas causadas pela doença de lepra com necessidade de cirurgia. Melhorar a qualidade de vida de cerca de 30 pessoas

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 2.200,00€.

 

Tanzania

Tanzânia

As Irmãs Kasisi dedicam-se a trabalhar com os órfãos, pobres, indigentes, doentes, crianças vulneráveis e marginalizadas.

A Ir. Jenipher Mutale, responsável pelo pedido de renovação do apoio, trabalha na Tanzânia na região de Mara – Musoma, onde dão alimentação a 302 crianças.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.

Zambia

Zâmbia

O Pe. Manuel Pinheiro, dos Missionários Combonianos, está na Missão de Chikowa, uma das zonas mais pobres da Diocese de Chipata, na Zâmbia.

A Missão Católica, tem uma escola profissional e uma Clínica. É para dar ajuda alimentar e para a compra de medicamentos para a clínica que solicitam apoio.

É uma zona com muitos doentes HIV, e outras patologias graves, que necessitam de cuidados, acompanhamento e tratamentos mais específicos na clínica.

Um dos graves dos problemas da zona, como em quase toda a África rural, é a subnutrição das mães e consequentemente desnutrição dos bebés, sendo necessário dar suplementos alimentares para que as crianças tenham algum reforço imunitário às doenças.

A Direcção decidiu apoiar este Projecto com a verba de 5.000,00€.