Notícias

OMS autoriza quatro países africanos a usar vacina contra o ebola

Mais de 290 mil pessoas foram imunizadas antes da licença comercial do novo produto para travar surto na RD Congo; Burundi, Gana e Zâmbia têm luz verde para usar imunização com eficácia de 97,5%.

Invisibilidade e negligência ainda afectam e impulsionam lepra, diz relatora das Nações Unidas

Em 2000, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a eliminação global da hanseníase como um problema de saúde pública. A decisão foi tomada em função da queda dos números de casos novos e também da prevalência, tendência reiterada no último relatório da OMS sobre o estado mundial da doença.

Essa determinação, contudo, é avaliada com ressalvas pela relatora Alice Cruz, na medida em que “pode esconder o fato de que ainda existem países endêmicos, bem como bolsões altamente endêmicos dentro dos países, e que ainda há transmissão em curso”.

Há regiões muito pobres nos países mais afetados, onde estão justamente os maiores focos de transmissão, lembra Alice Cruz. Por isso, e destacando que existe “um grande respeito pelo trabalho dos profissionais de saúde envolvidos”, considera que, na perspectiva dos direitos humanos, a decisão de considerar globalmente a eliminação da hanseníase como problema de saúde pública “gerou problemas”.

Doenças Tropicais Negligenciadas; Qual é o caminho a seguir?

Ouvi falar pela primeira vez sobre doenças tropicais negligenciadas (DTNs) na semana passada. Eu tive que procurar no Google o que são. O que mais me impressionou é que são evitáveis e tratáveis. São ‘doenças da pobreza’ e a injustiça e isso deixa-me com raiva. Faz-me querer agir. Percebi que não havia notícias sobre o que os jovens estão fazer na luta contra as DTN. Não parece haver nenhum envolvimento dos jovens. A notícia positiva é que existem soluções tangíveis para combater e erradicar essas doenças debilitantes….

Temida e esquecida, a doença da lepra ainda existe no Quénia.

Os dados mostram que o Quénia reduziu os números de 6.558 em 1986 para apenas 109 em 2018. O professor Matilu Mwau, médico e especialista em doenças infecciosas, classificou os casos como “muito poucos, mas ninguém deveria sofrer da doença de lepra nesta era”.

Estudos, incluindo os patrocinados pelo Ministério da Saúde, mostram que a baixa suspeita nos profissionais de saúde contribui imensamente para a disseminação da doença.

Pobreza: 3 milhões de pessoas em risco de contrair a doença de lepra, oncocercose, entre outras doenças em Ogun.

O governo do estado de Ogun, na Nigéria, divulgou que aproximadamente três milhões de pessoas, incluindo 1,4 milhão de crianças em idade escolar, correm o risco de serem atingidas por Doenças Tropicais Negligenciadas (DTN).

5 casos da doença de lepra detectados na região de Tehuantepec de Oaxaca

Esta não é a primeira vez que o Isthmus de Tehuantepec vê um surto da doença. Cinco casos foram detectados em 2018: três em Santiago Niltepec, um em Xadani e um em Juchitán.

Lepra: a crise global de saúde esquecida

Todos os dias, quase 50 crianças são diagnosticadas com a doenças da lepra. Sem tratamento pro-activo, elas enfrentam deficiências físicas e isolamento social ao longo da vida.

Sudão do Sul tem campanha para vacinar 2,5 milhões de crianças contra o sarampo

Segundo a ONU, a campanha é “essencial”, pois o país enfrenta um surto de sarampo sem precedentes. Desde Janeiro de 2019, foram confirmados mais de 4,7 mil casos, com 26 mortes. 

ONU: desastres forçam mais pessoas a saírem de suas casas que conflitos e violência

Ao todo, ao longo de 2018, foram registados 1,6 mil eventos de desastres, mas o número real é muito maior. Segundo o Escritório da ONU, a maioria dos desastres não é documentada.

Progresso na luta contra a lepra.
A prevenção da lepra é a chave para a eliminação.

Sabita é uma ex-doente de lepra, curada actualmente não sofre da doença. Ela é capaz de caminhar alguns quilómetros por dia e realizar as tarefas básicas como fazer chá. Embora a lepra tenha causado deformação nas mãos e no corpo da Sabita, ela agora está completamente curada e vivência a vida como uma pessoa feliz e contente.

9 razões de esperança para eliminar a lepra.

A palavra mais importante nesse título é “progresso”. O progresso sugere que há esperança para eliminar a lepra.

… precisamos dissipar os mitos sobre a lepra para reduzir o estigma e a discriminação que tantas vítimas sofrem desnecessariamente. O nosso objectivo deve ser criar “um ambiente social onde as pessoas com lepra possam viver com harmonia e dignidade”. A publicação defende que é hora de mudar a nossa mentalidade em relação à consciencialização e intervenção da lepra a todos os níveis.

ONU: 4,8 milhões de pessoas no Sahel Central estão sob ameaça de fome

A FAO, o Unicef e o PMA enfatizam que as mudanças climáticas estão prejudicando os meios de vida na região, que já são frágeis. Essa situação é exacerbada por conflitos armados e comunitários, roubo e banditismo, que prejudicam a mobilidade dos rebanhos animais, o acesso a forragens e recursos hídricos.

Moçambique: Bispo de Pemba diz que ataques em Cabo Delgado são «uma tragédia»

As aldeias estão a ficar vazias, as pessoas não estão a plantar, então isso significa que haverá fome, e nós temos milhares de deslocados internos, explica.

2020: um ano crucial para as doenças tropicais negligenciadas

Uma em cada cinco pessoas no mundo está em risco de NTDs, que geralmente afectam os 1.600 biliões de pessoas mais pobres que vivem nas comunidades mais marginalizadas, resultando em incapacidade substancial, estigma e perda de meios de subsistência, além das mortes causadas.

ONU prepara-se para estação de ciclones em Moçambique, que começa em Março.

O país de língua portuguesa está a ser afectado por chuvas fortes no norte e secas no sul, em menos de um ano após a devastação causada pelos ciclones Idai e Kenneth; chefe do Sistema ONU no país, Myrta Kaulard, destaca as necessidades de financiamento urgentes.

A lepra ainda é endémica em 18 estados da Nigéria:


De acordo com a Revisão Nacional da Lepra de 2015, o governo disse que 18 estados ainda são endémicos em lepra, embora houvesse bolsas de endemicidade noutros Estados.

O Ministro de Estado da Saúde, Senador Olorunnibe Mamora, fez esta declaração durante as cerimónias que marcaram o Dia Mundial dos Doentes de Lepra de 2020, realizado recentemente em Abuja. O afirma ter deito notáveis ​​progressos no combate ao flagelo por meio do programa Nacional de Tuberculose e Controle da Lepra, garantindo tratamento para mais de 33.000 pacientes de 2009 até à data, incluindo homens, mulheres e crianças.

Unicef: pneumonia matou uma criança a cada 39 segundos no ano passado

Desnutrição, poluição do ar e falta de acesso a vacinas e antibióticos estão entre as principais causas de mortes evitáveis ​​por pneumonia; nova análise mostra que foco em medidas de combate à doença pode evitar a morte de quase 9 milhões de crianças.

Dia Mundial dos Doentes de Lepra: o Papa Francisco expressa a sua proximidade

O Papa Francisco expressou a sua proximidade com os doentes e cuidadores, por ocasião do 67º Dia Mundial dos Doentes de Lepra.

Quase 5 milhões de crianças precisarão de assistência humanitária no Sahel em 2020

Neste momento, 4,3 milhões meninos e meninas precisam de ajuda nestes países do Sahel. Segundo o Unicef, a principal causa é uma onda de violência que incluiu sequestros e recrutamento de crianças para grupos armados.

Palestras de sensibilização marcam Dia Mundial de Luta contra Lepra em Cabo Verde

É essencial a consciencialização da população sobre a doença, pois, muitos mitos e preconceitos sobre a enfermidade conhecida por hanseníase ainda confundem as pessoas e prejudica tanto a prevenção quanto o tratamento…

Discriminação é tema do Dia Mundial de Combate à Lepra

Em mensagem sobre o dia, o embaixador da Boa Vontade da OMS para a Eliminação da Hanseníase, Yohei Sasakawa, disse que “apesar do progresso da ciência, ainda existem pessoas sofrendo com discriminação injustificada.”

República Centro-Africana enfrenta crise humanitária “terrível e complexa”

O Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, alertou que mais da metade da população da República Centro-Africana precisa de assistência e protecção humanitária. Ao todo, 2,6 milhões de pessoas estão nessa situação.

O Ocha diz que entre essas pessoas, 1,7 milhão precisam de assistência imediata para sobreviver.

Dia Mundial de luta contra a Lepra. Mais de 200 mil novos casos todos os anos

A nossa investigação consiste em saber se essa profilaxia é viável em larga escala e se podemos prescrever os medicamentos a uma população alargada, na tentativa de diminuir o aparecimento de novos casos. Não é simples: a questão que se coloca é se devemos administrar um tratamento preventivo a alguém, sem saber se essa pessoa está de facto doente.

Perguntas e Respostas com Paula Soares Brandão

A enfermeira e professora Paula Soares Brandão descobriu que tinha a doença de lepra durante o seu último período de enfermagem na Universidade do Rio de Janeiro em 2002. No início, sentiu um pouco de dormência na coxa. Após vários meses de testes inconclusivos, Paula foi diagnosticada com Lepra indeterminada…

Ocha: chuvas fortes e inundações mataram pelo menos 28 pessoas em Moçambique

Mais de 58,8 mil pessoas foram afectadas; as enchentes danificaram 10,2 mil casas e plantações; a agência da ONU alertou para o nível da água que começou a subir nos distritos da cidade da Beira, Buzi e Nhamatanda, atingidos pelo ciclone Idai em Março de 2019.

Perguntas e Respostas com Kofi Nyarko

Nasceu com o nome de Jackson Jonathan Nyarko, recebeu o apelido de Kofi, que significa ‘nascido na sexta-feira’ em Twi, um idioma ganês. Ele é o director da Escola Especial de Santa Isabel em Elimina, Gana, que oferece educação a crianças com necessidades especiais. Kofi foi diagnosticado com lepra aos 10 anos de idade, quando teve efeitos físicos irreversíveis da doença. Como foi rejeitado pelos seus colegas de classe, decidiu que, quando terminasse os estudos, ajudaria outras pessoas em situações semelhantes às dele. Kofi é membro do Conselho de Administração da IDEA, uma organização internacional de pessoas afectadas pela lepra…

Unaids: saúde não deve ser um privilégio dos ricos, mas um direito de todos

Quase 100 milhões de pessoas são levadas à extrema pobreza porque precisam de pagar pela assistência médica; a cada dois minutos uma mulher morre ao dar à luz; Portugal é destacado como bom exemplo de investimentos em saúde pública.

Unicef: 30% das meninas de famílias mais pobres nunca foram à escola

Um novo relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, revela que 30% das meninas adolescentes mais pobres do mundo, entre 10 e 19 anos, nunca frequentaram a escola.

PMA alerta para nível recorde de pessoas que passam fome no sul da África

Número de pessoas em risco chega a 45 milhões; Moçambique é um dos oito países com mais necessitados durante a actual época de escassez; falta de fundos leva agência da ONU a correr risco de diminuir beneficiários de ajuda alimentar.