A APARF em Moçambique 2020

Projecto 75/2020
Projecto: “Apoio aos refugiados de guerra em Cabo Delgado”

Cabo Delgado vive a situação de guerrilha que todos nós conhecemos que, segundo dados da semana passada, quando decapitaram 50 pessoas numa só noite, existem cerca de 400 mil deslocados e 2.400 mortos. As populações com medo e sem meios de sobrevivência pois queimaram-lhes as casas (palhotas) e as machambas, vêem-se obrigadas a fugir para as grandes cidades onde se sentem mais seguras. A Cáritas Diocesanas e as Missões têm tido um papel fundamental na distribuição de alguma alimentação e prestar primeiros socorros.
O Bispo de Pemba tem-se desdobrado para fazer sair para a comunidade internacional informação que de outra forma não nos chegaria. Pemba tem mais de 240 mil refugiados, conseguindo realojar alguns junto de familiares, mas mantém 5 campos com tendas e palhotas com cerca de 36 mil pessoas.
O Bispo de Pemba tem consciência das grandes dificuldades que Portugal também atravessa e isso coíbe-o de nos pedir ajuda. No entanto a situação em Pemba é dramática.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 20.000,00 Euros.

Projecto 69/2020
Projecto: “Dai-lhes vós mesmo de comer”

A Casa da Misericórdia foi fundada pela Arquidiocese de Maputo por indicação especifica do actual Arcebispo, Dom Francisco Chimoio, com o objectivo de auxiliar famílias carenciadas, sem-abrigo, indigentes e idosos da cidade de Maputo.
O pedido tem como objectivo apoiar com uma cesta básica 50 famílias necessitadas, 30 idosos e 20 deficientes também eles com agregados familiares disfuncionais e pobres.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 5.000,00 Euros.

Projecto 68/2020
Projecto: “Alimentação crianças Escola Maria Rivier”

A Ir. Maria Teresa Rebelo, da Congregação das Irmãs da Apresentação de Maria, apresenta à APARF o pedido de novo apoio para dar continuidade ao Projecto de Alimentação das crianças da Escola Primária Comunitária Maria Rivier.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 3.000,00 Euros.

Projecto 66/2020
Projecto: “Uma viagem para a vida – Patologias cardiovasculares”

A Irmã Maria Pedron, Missionária Comboniana, a trabalhar no Hospital do Marrere, no sector de Cardiologia, pede apoio à APARF para dar continuidade ao projecto de apoio médico e medicamentoso a crianças com patologias cardíacas, cerca de 900 doentes.
O apoio solicitado será utilizado para a compra de medicamentos, pagamento de despesas de deslocação das crianças/adolescentes e acompanhantes ao ICOR (Instituto Privado do Coração) e colaboração de um activista que se desloca e procura os doentes quando os mesmos não comparecem para controlo. Este Instituto conta com a preciosa colaboração de equipas médicas estrangeiras voluntárias, que realizam as intervenções cirúrgicas necessárias.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.

Projecto 63/2020
Projecto: “Ajuda alimentar Missão Vila Ulonguè”

O senhor Bispo de Tete dá-nos, em Janeiro passado, nota da imensidão da sua Diocese e das grandes dificuldades do povo.
Conforme nota que nos enviou e que foi publicada no nosso jornal, mal chegou à Diocese deparou-se com “… um drama por mim vivido nestes dias em primeira pessoa: a morte de 64 emigrantes etíopes aqui em Tete, mortos sufocados quando tentavam atravessar clandestinamente Moçambique em direcção à África do Sum em busca de um futuro melhor.
Os sobreviventes – 14 – estão aqui em Tete e é a diocese que está a prover à alimentação diária, vestuário e outras necessidades básicas.

Solicita-nos agora 2 mil euros para fazer face às necessidades de suprimento alimentar das crianças da paróquia.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 2.000,00 Euros.

Projecto 62/2020
Projecto: “Apoio aos deslocados da Guerra – Nampula”

O pedido chega-nos muito detalhado sobre as dificuldades que a Cáritas Arquidiocesana de Nampula tem para apoiar os refugiados da guerrilha em Cabo Delgado, Moçambique.
Nampula, oficialmente, tem cerca de 20 mil deslocados e “todos os dias chegam novas pessoas”.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.

Projecto 56/2020
Projecto: “Lar Mammana wa Kurula”

O Lar Mamana wa Kurula, internato, pertence às irmãs da Congregação dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria e está situado na aldeia Paula Samuel Kankhomba, próxima de Boane, Maputo. É uma aldeia rural e o Lar acolhe 40 meninas dos 5-18 anos tendo sido criado para apoiar filhos de doentes afectados pelo HIV/SIDA e órfãos. O estigma da doença acaba por fustigar, ainda mais, a já fraca capacidade de sobrevivência.
Pretendem comprar e montar uma bomba para captar água que abasteça a escola pois a rede pública está deficiente tendo-se agravado o abastecimento, e também a necessidade interna na escola, com a pandemia COVID 19 e a necessidade de maior quantidade de água para higiene.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 817,32 Euros.

Projecto 49/2020
Projecto: “Apoio aos doentes de lepra-Missão de Mitande”

A Irmã Perpétua Namingo, da Congregação das Irmãs Teresianas, a trabalhar em Mitande, solicita à APARF o valor de 10.000,00€ para dar continuidade ao projecto de apoio às pessoas que foram atingidas pela lepra e suas famílias, bem como outras que por motivo de doença, viuvez, ou algum tipo de incapacidade sobrevivem com muitas dificuldades. O apoio será concretizado em bens alimentares básicos, produtos de higiene e no apoio ao transporte para o hospital nos casos mais graves. Neste ano com o Covid 19 a situação agravou-se em número de doentes, mas principalmente pelo aumento de preços dos produtos básicos. São apoiadas cerca de 300 pessoas.
As Irmãs continuam a ter ao seu cuidado o Centro de Nutricional Maria Ana Mogas que atende mais de 60 crianças carenciadas e desnutridas, em regime ambulatório.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.

Projecto 47/2020
Projecto: “Apoio aos doentes Hospital Marrere”

O P. Wilson Reveque, Missionário de São João Baptista, solicita apoio à APARF para a alimentação dos doentes internados no Hospital Geral do Marrere, pertencente ao Estado, mas com a comparticipação/convénio com a Arquidiocese de Nampula. Nesse sentido tem pessoal nas diferentes áreas ligados a Institutos Religiosos e voluntários que prestam assistência em diferentes áreas (médica, cirúrgica, pediatria, farmácia, saúde materna e apoio nutricional, acompanhamento de doentes com HIV e tuberculose).
Este projecto irá beneficiar cerca de 90 a 110 doentes pobres: doentes de tuberculose, HIV/SIDA, doentes prisioneiros, crianças e mulheres grávidas.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.000,00 Euros.

Projecto 46/2020
Projecto: “Apoio à Escola Profissional Rural de Natete/Netia”

A Irmã Aurora de Maria, da Congregação das Irmãs Agostinianas Filhas do Santíssimo Salvador, pede apoio à APARF para o funcionamento da Escola Profissional Familiar Rural de Natete/Netia. Este conceito de escola foi importado do Brasil, em boa hora, e tem tido resultados muito positivos. Por um lado, os alunos além das aulas agrícolas têm outras valências o que lhes confere a equivalência ao secundário no final do curso.
Esta escola, localizada na Província de Nampula, situa-se numa região formada por 114 comunidades rurais. A população vive da agricultura de subsistência utilizando ainda métodos tradicionais. Torna-se urgente modernizar, utilizar novas culturas e técnicas de trabalho, para obter uma melhor produção que garanta a sobrevivência destas comunidades.
Sendo uma escola nunca será auto-sustentável e todos os anos os alunos necessitam de material e equipamento para a realização dos trabalhos. Dizem que sem o apoio da APARF dificilmente poderão manter a escola.
O produto da machamba da escola é para o sustento diários dos alunos e professores.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 5.000,00 Euros.

Projecto 38/2020
Projecto: “Ajuda às crianças de Quelimane”

O Pe. Lázaro, Diocesano de Quelimane na Paróquia da Sagrada Família tem um projecto de acolhimento, alimentação e desenvolvimento de crianças da rua a que chamou “Mesa de S. Lázaro”. Tem conseguido manter o projecto embora com grandes dificuldades. Solicita apoio à APARF para dar continuidade ao acolhimento, cuidado e acompanhamento de 50 crianças órfãs malnutridas e necessitadas.
Pretende assim, confeccionar e distribuir três refeições diárias durante 1 ano. Proporcionar actividades ocupacionais e pedagógicas em jardinagem e horticultura, costura, culinária, cumulativamente com apoio ao ensino.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 5.000,00 Euros.

Projecto 36/2020
Projecto: “Escolinha Hulene B”

A Escolinha enfrenta graves problemas no fornecimento da água desde há vários meses. A água não tem pressão para subir até ao reservatório elevado, já construído. Assim, pretende fazer um tanque térreo e com uma motobomba garantir que a água suba até ao depósito. Precisa resolver este problema antes do regresso das crianças à Escolinha. Devido à pandemia a água é um bem ainda mais necessário.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 3.000,00 Euros.

Projecto 35/2020
Projecto: “Centro Dia Mães Mavalane”

O P. Anastácio Jorge, Missionário da Boa Nova, vive uma situação dramática por falta de condições para responder às terríveis dificuldades das suas comunidades em Maputo. Solicita à APARF apoio para a distribuição de cabazes de alimentação básica e produtos de limpeza e higiene às comunidades das Paróquias de Mavalane e Aeroporto.
Com o agravamento da situação em Moçambique, os utentes que frequentavam este centro têm tido uma maior dificuldade em se dirigir ao mesmo. Muitos deles vivem em condições de extrema pobreza e vulnerabilidade. Pretendem distribuir semanalmente cestas básicas de alimentação e produtos de higiene a cerca de 100 famílias, 901 crianças.
São comunidades e escolas sem qualquer viabilidade de auto-sustentabilidade.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 30.000,00 Euros.

Projecto 34/2020
Projecto: “Apoio aos deslocados e COVID 19”

As Irmãs Agostinianas são as responsáveis pela Missão de Netia-Natete, província de Nampula, Moçambique. Os ataques dos guerrilheiros às populações já se fazem sentir também nesta zona a sul de Cabo Delgado. Na Missão de Netia, além das residências dos missionários, têm uma Escola Familiar e Rural, com algumas estruturas tornando-a num local mais seguro e de maior procura por parte de quem foge à morte e à devastação das comunidades (aldeias) no mato.
A Missão e a Escola têm, normalmente, grandes dificuldades orçamentais na gestão diária agravada agora com a chegada destes deslocados.
No dia de ontem chegaram mais de 600 pessoas a maioria delas mulheres e crianças depois de terem caminhado muitos dias pelas montanhas a fim de salvar as suas vidas. Muitas delas estão infectadas do Covid-19. Estas pessoas não têm nada que comer nem cama para dormir, estamos tentando de ajudar-lhes com o pouco que temos mas evidentemente não é suficiente tendo em conta que cada dia chegam mais e mais.” – escreve-nos no seu e-mail de 1 de Junho.
Conhecedora da vossa imensa generosidade e caridade Peço encarecidamente a Vocês que nos apoiem com aquilo que puderem para poder ajudar a esta pobre gente. Precisamos comprar alimentos e mantas para se cobrirem e redes mosquiteiras é o mínimo que podemos fazer por esta pobre gente.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 5.000,00 Euros.

Projecto 32/2020
Projecto: “Ajuda aos deslocados da guerrilha em Cabo Delgado”

O Bispo de Pemba tem denunciado através dos diversos meios de comunicação social a que tem acesso a precariedade crescente da população de Cabo Delgado em geral, e da cidade de Pemba em particular, em consequência do ciclone, da guerrilha, do esquecimento por parte das entidades oficiais e agora do COVID-19, que detém 60% dos casos do país.
A guerrilha vinda de norte tem ocupado e martirizado as comunidades estando, como é sabido, já às portas de Pemba. As pessoas fogem para a cidade. Neste momento estima-se que Pemba tenha 200 mil deslocados, muitos deles em casas de familiares e outros em barracas. Só em Metuge estão 16 mil pessoas deslocadas, distribuídas por 5 acampamentos.
A prevenção ao COVID-19 traz outras dificuldades. Sabemos que a Estrella, impossibilitada de ir para as aldeias norte dada a insegurança, tem estado a acompanhar estes deslocados e a costurar máscaras para distribuírem. Por enquanto ainda conseguem comprar o que necessitam.
Dom Luiz pede-nos ajuda para a compra de tecidos para confecção e distribuição de máscaras; compra e distribuição de sabão; compra e distribuição de comida.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.

Projecto 21/2020
Projecto: “Apoio aos doentes do hospital de Iapala”

As Irmãs de São João Baptista são as responsáveis pelo funcionamento do hospital de Iapala no Distrito de Nampula.
Pedem-nos apoio para compra de medicamentos, material médico-cirúrgico e alimentação para os doentes internados.
Orçamentam as despesas em 11 mil euros (6.000 para medicamentos e material médico-cirúrgico e 5.000 para compra de alimentos. Conseguem algum autofinanciamento.
A população atendida, mensalmente, rondará as 4.150 pessoas (2.075 crianças e 2.075 adultos).
As doenças mais rastreadas são a lepra, a tuberculose, Malária, HIV, anemia e desnutrição.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.

Projecto 20/2020
Projecto: “Compra de viatura para apoio a doentes”

As Irmãs de São João Baptista continuam a desenvolver no Distrito de Nampula o projecto de apoio aos doentes e gestão de alguns postos hospitalares. É o caso do Hospital de Iapala.
A Missão de Iapala dista 170 Kms de Nampula e agora a estrada está minimamente transitável aos veículos automóveis. O carro que possuem está velho pois tem mais de 30 anos, a maioria das vezes utilizado no mato a caminho das comunidades e até há pouco tempo mesmo a ida a Nampula era uma aventura numa estrada de terra batida. O carro é indispensável para a missão de busca e transporte de doentes quer para o hospital de Iapala quer para o hospital de Nampula em ambos os casos, para os quais, não têm recursos e para o abastecimento de medicamentos.
É uma zona com inúmeros casos de doenças infecto-contagiosas, e de fracos recursos, como já foi possível constatar quer por membros da APARF quer por voluntários que estiveram no terreno. Dão também apoio aos doentes de lepra na Missão do Gilé.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 17.500,00 Euros.

Projecto 19/2020
Projecto: “Matar fome das Crianças é dar vida”

O P. Wilson Reveque, Missionário de São João Baptista, solicita apoio à APARF para a alimentação das crianças pobres que frequentam o Centro Infantil Pe. João Maria Haw, em Nampaco-Nampula.
“… os Missionários de São João Baptista sentiram a necessidade de responder a este flagelo educativo, alimentar e nutricional, construindo um Centro Infantil Pe. João Maria Haw, para acolher, acompanhar, formar e alimentar crianças desfavorecidas e pobres de idade compreendida entre 2-5 anos.
Sabendo que a má nutrição e fome são causas de elevada taxa de mortalidade infantil, má formação física-motor e psicológica das crianças e que a mesma fome é grande lepra actual…”

Os Missionários S. João Batista têm tido um papel fundamental nas áreas educacional, saúde e social, nas classes sociais mais desfavorecidas, na Diocese de Nampula.
Com o objectivo de acolher, formar e dar alimentação nutricional às crianças pobres pedem a renovação do apoio à APARF para a alimentação de cerca de 135 crianças, entre os 2 e os 5 anos, durante 9 (dez) meses, de Março a Novembro.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 5.000,00 Euros.

Projecto 18/2020
Projecto: “Cuidar e Reabilitar”

O início do apoio da APARF ao Centro das Mahotas remonta a 2003.
As Irmãs Hospitaleiras, desde essa data, têm feito um trabalho extraordinário junto das populações mais pobres com méritos reconhecidos pelas próprias Entidades públicas e que não seria possível sem o apoio da APARF.
A APARF já visitou por diversas vezes estes projectos tendo testemunhado e dado boa nota da sua implementação, resultados e da importância que tem nas populações locais.
Para o ano de 2020 apontam-nos algumas necessidades básicas (alimentação, medicamentos, ordenado para 1 ano de 1 enfermeira, e outro pessoal médico) e outras necessidades que dão continuidade ao trabalho que tem sido realizado e que se enquadram nos objectivos da APARF.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 15.000,00 Euros.

Projecto 17/2020
Projecto: Paróquia de Zobwe/Nkondezi- Diocese de Tete

O senhor Bispo de Tete, D. Diamantino Antunes, deu-nos nota da imensidão da sua Diocese e das grandes dificuldades do povo. Entregou, em mão, um pedido de ajuda para crianças subnutridas (40 dos 0 aos 3 anos) na Missão de Zobwe.
… a maioria das crianças afectadas sofrem de má-nutrição por variados motivos…” A morte prematura das mães, ou durante o parto ou por doenças como o HIV, juntamente com a fraca e deficiente alimentação no período de aleitamento gera graves problemas nestas crianças recém-nascidas.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 2.500,00 Euros.

Projecto 16/2020
Projecto: Centro de hanseníase de Nkondezi

O senhor Bispo de Tete, D. Diamantino Antunes, entregou, em mão, um pedido de ajuda para o Centro de Hanseníase de Nkondezi, que é gerido pelas Irmãs Mercedárias Missionárias, sendo o senhor Bispo o responsável.
O centro, actualmente, conta com 40 doentes a necessitar de apoios básicos de alimentação pois não têm condições físicas para criar meios de subsistência. “… Apesar da fertilidade na zona e das actividades agrícolas, a má-nutrição é ainda um problema serio entre os mais vulneráveis, sobretudo entre os doentes e os idosos.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 2.500,00 Euros.

Projecto 15/2020
Projecto: “De 1 escola a 5 aldeias”

A Capulana nasce como gesto de agradecimento a um país, a um povo: Moçambique. Os seus sócios fundadores, um casal de portugueses que cresceu em Lourenço Marques.
Em 2000 constroem um furo artesiano com bomba manual para o abastecimento de água, uma escola e também um centro de saúde, numa zona indicada pelo Padre José Maria da Casa do Gaiato de Maputo. Foram, também, construídas as infra-estruturas básicas necessárias de apoio ao centro de saúde e da escola, como uma cozinha e um refeitório. Nasce a Aldeia de Ndivinduane. Cresceu, e também construíram uma creche, um berçário, uma nova cozinha e um novo refeitório.
Os parceiros locais são: Equipa Associação Capulana em Moçambique: Prof. Rui Dauto, Educadora Deolinda Magia; Pe. António Perretta – conselheiro, apoio na distribuição dos bens e na missão evangelizadora, Irmãs da Aliança da Misericórdia – apoio na missão evangelizadora.
No ano passado com o apoio da APARF em duas aldeias próximas garantiram uma refeição diária para as crianças das Escolas das Aldeias de Mazimunhama e Mussequelane. Em 4 meses foram suficientes para aferir:
a) Aumento de pontualidade e assiduidade
b) Melhor aproveitamento escolar
c) Aumento da motivação
d) Aumento da relação escola/comunidade (com o apoio dos encarregados de educação na confecção das refeições)
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.500,00 Euros.

Projecto 10/2020
Projecto: Apoio ao aleitamento materno – Missão de Ocua

A equipa “Salama” é constituída por um grupo de voluntários enviados pelo Centro Missionário Arquidiocesano de Braga, a trabalhar em Pemba, Moçambique, solicitam à APARF a renovação do apoio já concedido desde 2016 para a Paróquia de Santa Cecília de Ocua, onde a APARF financiou a construção do Centro de Saúde.
O projecto apresentado “Programa de apoio ao aleitamento materno” visa contribuir para a melhoria da saúde materno-infantil e para uma melhor nutrição do bebé e da mãe, sensibilizando sempre para a importância da amamentação nos primeiros meses de vida e a da necessidade do acompanhamento médico no desenvolvimento do bebé (registo semanal de peso, vacinação…).
Pretendem dar apoio alimentar a 30 crianças e complementar com acções de formação a 30 adultos (respectivos pais/educadores).
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 4.785,14 Euros.

Projecto 9/2020
Projecto: Assistência a Doentes de Lepra

A enfermeira Estrella Arjomil pediu, em 2015, apoio à APARF para desenvolver, em Pemba, o trabalho de combate à Lepra, em total sintonia com a Direcção Provincial de combate à Lepra.
Tem dedicado todo o tempo a este projecto e ao projecto de formação e capacitação de líderes locais e formação de grupos de autocuidado. A sua dedicação é extrema. O seu elevado profissionalismo e disponibilidade são exemplo apontado ao voluntariado. “… chegámos a muitas aldeias que ninguém tinha chegado, e a outras que, pela distância, apenas eram visitadas. Criámos novos grupos de autocuidado. Foram diagnosticados muitos novos casos. Nas nossas visitas tentamos que sejam, também, de prevenção para outras doenças…
D. Luís Fernando Lisboa, Bispo de Pemba, deu pessoalmente testemunho da pertinência e do empenho no trabalho desenvolvido pela Estrella.
Entretanto, solicitou-nos a renovação do projecto para os anos 2020 e 2021 dando continuidade ao trabalho que tem desenvolvido.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 30.000,00 Euros.

Projecto 8/2020
Projecto: Bolsas de estudo Enfermeiros

A Irmã Glória Zegarra, das Irmãs Franciscanas Missionárias de Maria Solicita à APARF o apoio no valor de 1.500,00 € para pagamento das propinas de 2 alunos que são finalistas de Enfermagem com fracos recursos económicos.
A APARF tem apoiado a formação de jovens, 4/5 por ano, desde 2009.
É conhecido da APARF o trabalho da Irmã Glória no Hospital Central da Beira (nomeadamente aquando do ciclone Idai em 2019) e como professora na Universidade Católica também na Beira.
As matrículas começaram em Janeiro e as aulas no final desse mesmo mês.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 1.500,00 Euros.

Projecto 7/2020
Projecto: Alimentação crianças Infantário/Orfanato

A Irmã Maria Freitas, da Congregação das Irmãs de S. José de Cluny, solicita à APARF a renovação do Projecto “Alimentação das crianças do Infantário/Orfanato de São José de Cluny”. A APARF tem apoiado este infantário/orfanato desde 2006.
O Infantário de S. José de Cluny, assim registado a pedido do Governo Provincial, acolhe cerca de uma centena de crianças órfãs e abandonadas, das quais muitas com problemas de saúde (HIV-Sida).
Em Tete as dificuldades são acrescidas dada a interioridade e a falta de meios de comunicação.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.500,00 Euros.

Projecto 5/2020
Projecto: Medicamentos e alimentação para os alunos doentes da Escola Técnica de Carapira

O Ir. Luigi Quaranta, Missionário Comboniano, responsável do Instituto Técnico Industrial de Carapira, solicita à APARF apoio para os encargos com medicamentos e alimentação diferenciada dos alunos da Escola que passam pela respectiva enfermaria: “Pretende-se com o presente projecto dar resposta a uma das grandes dificuldades que o Instituto atravessa, ou seja, a comparticipação de medicamentos e a compra de alimentos que permitam uma alimentação diferenciada para os doentes.
A Escola tem 103 alunos matriculados. A maioria dos jovens vive no internato da escola.
No último semestre a enfermaria registou um total de 267 ocorrências, tratando a maioria dos casos e encaminhando os mais complexos para os hospitais de Monapo, Nacala e/ou Nampula.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 5.000,00 Euros.

Projecto 3/2020
Projecto: “Saúde, Partilha e Solidariedade 2020”

O P. Ricardo Marques, Missionário da Boa Nova, a trabalhar na Paróquia de Maria Auxiliadora, em Pemba, solicita a renovação do pedido de apoio à APARF para continuar a ajudar cerca de 100 famílias nos bairros mais pobres de Pemba.
Iniciativa lançada em 2016, apoiada pela APARF, é de ajuda essencial a famílias com doentes de HIV, lepra, hepatite, diabetes, cólera e malária, com enormes dificuldades em poderem trabalhar.
Sabemos das grandes dificuldades de Pemba por outros actores no terreno e pelas notícias que nos chegam pelos meios de comunicação dos permanentes ataques de banditismo e ainda do ciclone Kenneth.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.