A APARF em Angola 2020

Projecto 44/2020
Projecto: “Pastoral da Criança – Missão de Luau”

O Pe. David Mieiro, Missionário Dehoniano, jovem e recém-chegado à Missão de Luau, Diocese de Luena, Província de Moxito, faz o pedido para a pastoral da Criança.
O conceito da “Pastoral da Criança”, aplicado em Angola, não é novo para a APARF. Trata-se de um programa desenvolvido por uma rede de voluntários locais dedicados às crianças e mães, acompanhando o seu desenvolvimento físico das crianças, nutrição, seu estado de saúde, referenciando e sinalizando os casos que necessitam de acompanhamento ao centro de saúde. Trabalham conjuntamente com o Ministério da saúde, que reconhece o valor do seu trabalho, sem o qual as crianças dos “bairros” seriam simplesmente abandonadas (e por vezes até desconhecidas pois um dos trabalhos é levar as mães e as crianças ao registo civil).
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 3.200,00 Euros.

Projecto 33/2020
Projecto: “Projecto MELIKA”

As Irmãs Doroteias desde sempre se dedicaram à educação e instrução com enfoque muito particular nas mulheres. O Projecto MELIKA (“mulher chegou a tua hora” em dialecto local) encaixa perfeitamente na divisa: “educar uma mulher é educar um povo” pois percebe e reconhece a importância da mulher no desenvolvimento e gestão das comunidades pela sua influência junto dos filhos, crianças e jovens, e mesmo dos maridos.
Iniciaram o projecto em 1998 na província do Huíla, Angola com acções de sensibilização e de formação nas aldeias, tendo desde então criado 9 escolinhas com cerca de 3.000 alunos. Implementaram outras actividades como fornos para fazer pão, formação em microcrédito e lojas comunitárias. Nos fornos é feito o pão distribuído nas escolas.
Numa das aldeias, Makalungungo, na escola, a funcionar há 20 anos sem água, precisam de contruir um furo para:
– Garantir água potável aos 267 alunos e habitantes da aldeia, melhorar a sua saúde e prevenir as doenças;
– Possibilitar uma horta escolar;
– Facultar uma refeição diária aos 267 alunos do ensino primário dos 5 aos 16 anos de idade de ambos os sexos, com os produtos da horta escolar;
– Incrementar trabalho comunitário para 8 mulheres e 2 homens da aldeia do Makulungungo;
– Incrementar a auto-sustentabilidade das comunidades.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 10.000,00 Euros.

Projecto 25/2020
Projecto: “Dai-lhes vós de comer”

A Companhia de Santa Teresa de Jesus (Teresianas), na Missão Católica do Cubal, Angola, tem a seu cargo a Obra Social Bairro de S. José que acolhe crianças órfãs e idosos desamparados, abandonados pelas famílias, num total de 62 pessoas (28 órfãos e 34 idosos). As crianças frequentam a Escola Teresiana. Apresentam um pedido de apoio para compra de produtos alimentares.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.500,00 Euros.

Projecto 13/2020
Projecto: “Água para a Missão do Gungo”

O pedido chega-nos através dos Missionários do Verbo Divino na sua campanha “Mãos Missionárias – 2020”. Pese embora o Pe. David seja diocesano, da Diocese de Leiria, os verbitas estão muito envolvidos com a Missão do Gungo.
Este problema da água no Gungo é antigo. Há a necessidade de reparar a cisterna e, por outro lado, de fazer uma nova captação, de uma nascente num poço, e novas condutas até à cisterna.
É nas instalações da Missão do Gungo “que se realizam as assembleias de leigos, assim como encontros de formação de catequistas e outros agentes da pastoral”.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 4.000,00 Euros.

Projecto 12/2020
Projecto: “Combate à hanseníase, leprosaria do Kuito”

A Irmã Maria das Graças Vieira, da Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas, pede apoio para a alimentação e cuidados de saúde dos doentes de Lepra e das suas famílias, da Comunidade de São José, no Kuito-Bié.
Durante a visita da APARF em 2018, houve um reconhecimento do trabalho feito pelas Irmãs e, sendo o tratamento e cura da doença da lepra o objectivo primordial da APARF, o compromisso da continuidade da ajuda aos doentes e à comunidade.
Na comunidade, neste momento, vivem 63 hansenianos e suas famílias. Alguns destes familiares são netos, crianças, órfãos de pais, que se juntaram aos avós, já por si débeis física e financeiramente, mas que têm de assumir esse novo encargo.
“Pedimos que continuem a ajudar-nos com medicamentos e alimentos, se não fosse esta ajuda a grande maioria deste povo já teria morrido. A resistência deles é pouca. A imunidade é muito baixa e todas as doenças os perseguem…”
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.500,00 Euros.