A APARF em Angola 2020

Projecto 25/2020
Projecto: “Dai-lhes vós de comer”

A Companhia de Santa Teresa de Jesus (Teresianas), na Missão Católica do Cubal, Angola, tem a seu cargo a Obra Social Bairro de S. José que acolhe crianças órfãs e idosos desamparados, abandonados pelas famílias, num total de 62 pessoas (28 órfãos e 34 idosos). As crianças frequentam a Escola Teresiana. Apresentam um pedido de apoio para compra de produtos alimentares.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.500,00 Euros.

Projecto 13/2020
Projecto: “Água para a Missão do Gungo”

O pedido chega-nos através dos Missionários do Verbo Divino na sua campanha “Mãos Missionárias – 2020”. Pese embora o Pe. David seja diocesano, da Diocese de Leiria, os verbitas estão muito envolvidos com a Missão do Gungo.
Este problema da água no Gungo é antigo. Há a necessidade de reparar a cisterna e, por outro lado, de fazer uma nova captação, de uma nascente num poço, e novas condutas até à cisterna.
É nas instalações da Missão do Gungo “que se realizam as assembleias de leigos, assim como encontros de formação de catequistas e outros agentes da pastoral”.
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 4.000,00 Euros.

Projecto 12/2020
Projecto: “Combate à hanseníase, leprosaria do Kuito”

A Irmã Maria das Graças Vieira, da Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas, pede apoio para a alimentação e cuidados de saúde dos doentes de Lepra e das suas famílias, da Comunidade de São José, no Kuito-Bié.
Durante a visita da APARF em 2018, houve um reconhecimento do trabalho feito pelas Irmãs e, sendo o tratamento e cura da doença da lepra o objectivo primordial da APARF, o compromisso da continuidade da ajuda aos doentes e à comunidade.
Na comunidade, neste momento, vivem 63 hansenianos e suas famílias. Alguns destes familiares são netos, crianças, órfãos de pais, que se juntaram aos avós, já por si débeis física e financeiramente, mas que têm de assumir esse novo encargo.
“Pedimos que continuem a ajudar-nos com medicamentos e alimentos, se não fosse esta ajuda a grande maioria deste povo já teria morrido. A resistência deles é pouca. A imunidade é muito baixa e todas as doenças os perseguem…”
A Direcção da APARF decidiu apoiar este projecto pela verba de 7.500,00 Euros.