PROJECTOS

PORTUGAL
Projecto nº14/2017
Há vários anos que a APARF apoia uma senhora ex-hanseniana que vive na Região Litoral Centro do país.
Visivelmente marcada pela doença e pelo estigma, esta senhora e a família vivem com grandes carências económicas. O desemprego, a falta de saúde, tanto física como psicológica, e tantos outros problemas tornam-nos frágeis e vulneráveis, incapazes de conseguir o seu sustento, sem auxílio. Na sua última carta de agradecimento aos Amigos de Raoul Follereau, a filha escreve:
“Muito obrigada por não nos abandonarem, quando muitos nos bateram com a porta na cara…A minha mãe tem muitas dores no corpo e muita comichão e acho que com a nova doença ela piorou…”
Este ano, a Direcção da APARF pretende continuar o apoio a esta família com a verba de 3.500,00 Euros, entregues faseadamente, de acordo com as necessidades apresentadas.

PORTUGAL
Projecto nº35/2017
Continuação do apoio a doente ex-hanseniana, residente na Região Centro do País.
De idade muito avançada, esta doente, além dos cuidados de saúde próprios da idade, que lhe levam parte substancial da pensão de velhice e sobrevivência, necessita também de apoio para o pagamento da renda de casa, luz, água e gás.
A Direcção da APARF pretende colaborar com a verba de 2.500,00 Euros, a entregar faseadamente.

ANGOLA
Projecto nº29/2017
A Irmã Maria das Graças Vieira, da Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas, pede apoio à APARF para os doentes de Lepra e suas famílias, da Comunidade de São José, no Kuito-Bié. Escreve-nos:
“ Nossa intenção é minimizar o sofrimento do povo desta comunidade São José. A população está crescendo desorganizadamente sem nenhuma estrutura. Assim os leprosos vão aos poucos perder as suas terras, invadidas por outras pessoas, que vão danificando as suas casas. Os mais idosos são os que mais sofrem. Há várias casas que mesmo com eles dentro tiram as chapas, portas e tudo o que conseguiram em sua miséria. Nas casas não há alimento, não tem luz, nem água (…). As famílias mais vulneráveis são aquelas que mais sofrem.
Nossa presença com eles não resolve todos os problemas, mas ajudamos a minimizar alguns e com a vossa ajuda podemos fazer muito mais.
Em nome dos mais carenciados, dos menos favorecidos pedimos à Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau que tenha compaixão e nos ajude naquilo que puder, pois conhecemos vossa preocupação humanitária e com os hansenianos.”
A Direcção da APARF pretende colaborar neste projecto com a verba de 10.000,00 Euros.

ANGOLA
Projecto nº47/2017
O P. Américo Sousa Alves, Missionário Espiritano, solicita à APARF apoio para os Centros de Saúde de Lucapa e Calonda, destinado à compra de medicamentos e instrumentos auxiliares de enfermagem.
“O custo de vida em Angola é muito elevado, sobretudo em Luanda e na Lunda Norte, a província onde exercemos a nossa missão que, semelhante à de Jesus e ao carisma da nossa Congregação do Espírito Santo sob a tutela do Imaculado Coração de Maria e do Instituto das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, nos dedicamos, de um modo muito especial, aos mais pobres e aos mais necessitados. Fazemos alguma coisa, graças a Deus, mas o que há aqui para fazer é uma tarefa que nos ultrapassa e muito nos faz sofrer por não podermos ajudar mais quem muito sofre. Contamos sempre com o apoio precioso da APARF para quem pedimos a bênção de Deus sobre todos os seus membros e trabalhadores.”
A Direcção da APARF pretende continuar o apoio a este projecto com a totalidade do valor solicitado: 7.000,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº3/2017
“Apoio às crianças abandonadas e desnutridas”
As Irmãs Franciscanas Estigmatinas, a trabalhar em Moçambique desde 2008, pedem à APARF apoio financeiro para as crianças da Escolinha Comunitária Anna Pantone, situada no Centro Pastoral dos Mártires do Uganda, Paróquia de Santa Teresa do Menino Jesus, na Província de Maputo.
Esta Escola, da responsabilidade das Irmãs, é frequentada por 60 crianças dos 2 aos 5 anos, abandonadas e malnutridas, provenientes de famílias muito pobres.
A Direcção da APARF deseja viabilizar este projecto com a quantia de 7.500,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº4/2017
“O Bom Samaritano – Centro Hakumana”
É com um profundo sentimento de gratidão que finalizamos mais um ano de actividades, sabendo que foi possível aliviar um pouco as “dores” de muitos com quem convivemos diariamente. A nossa enfermeira, Ir. Angelina, e a nossa psicóloga, Ir. Leonir, não tiveram mãos a medir durante este ano, dado o aumento de novos casos que vão surgindo. Com a convicção de que é possível olhar aquele “viajante” da vida que caiu “nas mãos dos salteadores” e necessita de uma mão para se reerguer, acompanharam cerca de 252 pacientes na enfermaria e 63 na área de psicologia. As crianças que receberam educação sanitária com a Irmã às terças e quintas, depois de um ano vão dando sinais de perceber a importância de cuidar da sua higiene pessoal e saúde. As outras actividades realizadas na área da terapia ocupacional, educação, formação musical, inglês… são o sinal de que a vida tem sentido e há um futuro que nos espera.
Em cada um dos que usufrui da vossa “contribuição”, é nítida a alegria da gratidão e da esperança que renasce da certeza de que alguém “toma conta dele… e pagará o resto na volta”. As portas estão abertas, aguardando a vossa visita.
Irª Rute Mesquita
A Direcção da APARF pretende continuar a apoiar este projecto, em 2017, com o valor de 18.000,00 Euros.

CASA DO GAIATO – MAPUTO
Projecto nº5/2017
“PASSOU FAZENDO O BEM”
“Há que educar a vontade. Quem não a tem, perde todas as oportunidades; quem a tem vence todas as dificuldades”
Desde que a Casa do Gaiato de Maputo chegou a Moçambique, em 1991, que sempre contou com o apoio da APARF para as actividades com as crianças, doentes e idosos.
O exemplo de dedicação ao próximo que marcou a vida de Raoul Follereau motivava profundamente a vida do Padre José Maria que no dia 30 de Setembro de 2016 partiu para o céu com a consciência do seu dever cumprido. Dizia ele que na sua vida tinha dois grandes desejos: ser Padre da Obra da Rua e quando morresse ir para o céu. Não temos dúvida de que foi realizada a sua vontade. Temos a certeza que está junto de Deus a interceder por todos nós.
Hoje sentimos a sua presença em tudo o que fez em vida, mas aqueles que souberam aproveitar de certeza que darão continuidade a esta Obra de Amor.
As crianças, doentes e idosos que eram acompanhados, continuam a alimentar a sua presença espiritual. O Padre José Maria, mesmo já bastante debilitado, tinha sempre uma palavra de carinho para consolar os mais pobres e rejeitados pela sociedade. Por vezes falava com muita simplicidade da vida eterna e soube preparar bem a todos que conviviam com ele para este momento da sua partida.
Sempre que encontrava um momento para falar dos seus grandes amigos e seguidores, tinha presente, conforme ele chamava, o “discípulo dos leprosos”, e lembrava as motivações que Raoul Follereau tinha para a sua caminhada: “Ser feliz é fazer os outros felizes”.
Quando o Padre José Maria ia a Portugal para controle médico, sentia-se feliz em visitar os que hoje dão continuidade ao carisma da APARF. Partilhava a sua experiência de Moçambique e voltava reconfortado pelo carinho com que era acolhido.

Os doentes incuráveis mantiveram no coração deste “Pai”, conforme era chamado pelos seus, um lugar especial. Os idosos rejeitados pelos familiares eram acolhidos com dignidade e respeito, onde ele garantia sempre o necessário para o seu sustento. A Celebração Eucarística era o momento de Acção de Graças para todos. A alegria era manifestada pela dança e pelos cânticos.
Hoje, com gratidão e saudade, agradecemos à APARF tudo o que proporcionou a esta Família do Gaiato para que pudéssemos conhecer o verdadeiro sentido de Amor ao próximo buscando como ideal de vida a humildade, conforme dizia o Vosso Fundador: “O tesouro que eu vos deixo é o bem que não fiz, que teria querido fazer e que vós fareis depois de mim”. É com este desejo que a equipa da Casa do Gaiato de Maputo continua as actividades do nosso querido Padre José Maria.
Irª Quitéria (actual responsável pela Casa do Gaiato)
A Direcção da APARF deseja continuar a apoiar a Casa do Gaiato de Maputo, em 2017, com o valor de 50.000,00 euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº19/2017
A Fundação “Sementes de Esperança” é uma ONG integrada na pastoral orgânica da Diocese de Pemba, que desde o ano 1999 desenvolve várias actividades na província de cabo Delgado. Fundadora da ALEMO – Associação das Pessoas atingidas pela Lepra, esta fundação acompanha e promove o apoio aos doentes de Lepra e suas famílias tanto no tratamento, como na reabilitação e inserção social.
Apresenta à APARF um projecto que “visa promover a dignidade dos filhos dos doentes de lepra que vivem em situação de exclusão social, favorecendo a sua integração na escola e o acompanhamento sócio-educativo ; pretende desta maneira beneficiar um número de 100 crianças afectadas pela Lepra, das quais 92 recebendo Apoio Escolar na Comunidade, integradas nas suas famílias, nas aldeias dos Distritos de Chiúre, Ancuabe, Namuno e Pemba-Metuge e 8 recebendo um Apoio Educativo Integral nos dois Centros de acolhimento da Fundação “Sementes de Esperança”.
A APARF pretende continuar a viabilizar este projecto com a quantia de 5.000,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº26/2017

A voluntária Estrella Arjomil, enfermeira, a desenvolver um trabalho de combate à lepra na Diocese de Pemba, apresenta à APARF um novo projecto, destinado à formação de agentes locais, capazes de detectar e diagnosticar novos casos, acompanhar todo o processo referente à medicação e auto-cuidado.
Tendo em conta o elevado número de novos casos diagnosticados, é urgente organizar e envolver as comunidades locais na luta contra a doença.
A Direcção pretende apoiar este projecto com a verba de 11.500,00 euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº30/2017
Missão de Mitande
As Irmãs Teresianas solicitam à APARF a continuação do apoio que há vários anos lhes tem sido concedido para continuarem o seu tão valioso trabalho junto dos leprosos, dos mais carenciados e das crianças desnutridas.

“Em nome deste povo a quem servimos, fazemos chegar a nossa gratidão pela assistência que todos os anos nos têm prestado.
Que Deus vos cumule de Suas bênçãos para estarem sempre disponíveis aos serviço dos sem voz neste mundo.
Com estima e gratidão das Irmãs Teresianas de Mitande”.
A Direcção da APARF deseja continuar a colaborar neste projecto com o valor solicitado de 10.000,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº34/2017
Da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, Diocese de Xai Xai, O Padre Amaro Ferreira, faz-nos este apelo comovente:
“O programa Mais Vida tem vindo a apoiar desde 2015 uma média de 30 crianças por mês. Crianças estas, bebés até um ano de idade, órfãos ou cujas mães não têm leite materno ou não o podem dar. (…)
Para continuação do projecto e mediante as necessidades, visto que este projecto depende 100% do vosso apoio, queremos pedir a renovação para mais um ano. (…)
Mais uma vez relembramos que este tipo de projecto não tem capacidade de sustentabilidade, pois trabalha no limiar da vida. Terminando o vosso apoio não temos capacidade de responder a estas grandes e sensíveis fragilidades, que muito nos preocupam e inquietam, deixando assim estes bebés sem qualquer protecção ou apoio (…).
Sabemos dos muitos desafios e pedidos que também têm, mas temos a consciência de que cada bebé beneficiado é uma oportunidade de vida.
A Direcção da APARF pretende continuar a apoiar este projecto com o valor solicitado de 7.015,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº42/2017
Os Missionários da Consolata, P. Franco Gioda e P. Carlos Biella, solicitam à APARF apoio para a alimentação das crianças da missão de Finjoè, situada a noroeste da Província de Tete.
Escrevem:
“Apesar da fertilidade da zona e das actividades agrícolas, a má nutrição é ainda um problema sério. A maioria das crianças afectadas sofrem de má nutrição por diferentes motivos entre os quais:
. morte das mães durante o parto, muitos partos verificam-se em ambientes não controlados, longe de hospitais ou centros de saúde com más condições de higiene, que colocam em risco a saúde da mãe;
. HIV/AIDS que atinge um ou os dois progenitores;
. doenças (malária e parasitas);
. no caso da mãe não poder amamentar o seu filho, falta de conhecimento em como providenciar uma nutrição correcta ao recém-nascido: muitas vezes as mães não têm leite após o nascimento da criança, por causa de uma alimentação deficiente e regressam ao trabalho pouco tempo depois de terem dado à luz.”

A Direcção da APARF pretende apoiar este projecto com o valor solicitado de 2.500,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº48/2017
“Uma vez mais, aproveito para agradecer todo o apoio que a APARF tem dedicado à Sociedade Missionária da Boa Nova, em geral, e, de modo particular, a esta Paróquia de Maria Auxiliadora de Pemba, em Moçambique.

Sem sombra de dúvida que, entre crianças e adultos, já são mais de 500 os beneficiados directamente com o apoio da APARF, aqui em Pemba.

Muitas crianças já ingressaram no ensino oficial e muitos doentes já viram o seu sofrimento ser minorado através de medicação e tratamentos clínicos.

Muito agradeço à APARF e aos seus benfeitores por todo o bem que têm feito.

Gostaria de pedir que esta parceria se mantivesse no próximo ano. Nesse sentido, envio este novo projecto para o submeter à vossa apreciação. Trata-se de uma iniciativa cujo objectivo é ajudar a melhorar um pouco a vida de muitas crianças, atingidas, de modo directo ou indirecto, pelo flagelo da fome e da doença.

Estou certo de que, em conjunto, poderemos fazer alguma coisa para ajudar estas crianças e os seus agregados familiares.”

P.Ricardo Marques (Missionário da Boa Nova).

Para que este projecto tenha continuidade a Direcção da APARF deseja colaborar com o valor de 20.000,00 Euros.

MOÇAMBIQUE
Projecto nº51/2017
O P. Anastácio Jorge, Missionário da Boa Nova, a trabalhar em Moçambique faz-nos o seguinte apelo:
“Funciona nas instalações do Centro Dia Idosos de Hulene um pequeno Posto de Saúde que atende 150 idosos do Centro e cerca de 60 idosos acamados; com a crise que cada vez é mais profunda, estamos a sentir imensas dificuldades em conseguir manter com alguma estabilidade este pequeno posto a funcionar… estes idosos são pessoas muito vulneráveis, quase todos a viverem em situação muito precária e abandonados; um grupo mais pequeno vive com seus netos ainda muito crianças.
Vimos pedir à APARF um apoio para medicamentos e salários por 2 anos para uma enfermeira reformada que vive também ela com muitas dificuldades devido a problemas familiares.
Desde já agradecemos a vossa atenção.”

A Direcção da APARF pretende ajudar a viabilizar este projecto com o valor total de 17.000,00 Euros.
“O Centro Dia Idosos de Hulene é uma instituição sem fins lucrativos, vocacionada ao apoio aos idosos residentes nos bairros de Hulene, Mavalane e circunvizinhos com vista a proporcionar-lhes melhores condições de vida, principalmente nos cuidados com a saúde, em que muitas das vezes são marginalizados a nível das suas famílias.
Assim, o Centro tem garantido para além de actividades culturais, alfabetização, tapeçaria, corte, costura e batiques; garante ainda alimentação e assistência médica e medicamentosa a um universo de 210 idosos, dos quais 150 são internos e 68 ao domicílio e acamados.
O apoio aos idosos ao domicílio é prestado aos idosos em estado de abandono e com atestado de pobreza.”

MOÇAMBIQUE
Projecto nº52/2017
A Ir. Maria Freitas, da Congregação das Irmãs de S. José de Cluny, agradece todo o apoio que a APARF, ao longo de várias anos, tem dado às crianças do Infantário (Orfanato) de S. José de Cluny, solicitanto também a renovação desse apoio.
“Do nosso coração brota um hino de Louvor e de acção de graças ao Senhor por todos os amigos da Associação Raoul Follereau, que trabalhando se sacrificam para poderem partilhar um pouco do que têm e possuem para que outros irmãos carenciados, tenham vida em plenitude, e a tenham em abundância (…)
A nossa família é numerosa, oitenta e nove crianças. Quando se fala de arroz, não se fala de kg é de sacos…Temos também uma machamba, mas na estação seca não produz a verdura suficiente, precisamos de comprar alguma verdura e legumes por ser rica em ferro para alimentar os meninos e ao mesmo tempo serve de caril (acompanhamento)…”

A Direcção da APARF deseja continuar a apoiar este projecto com o valor de 7.500,00 Euros.
“Esta é a foto da Ana Maria, a primeira menina do berçário. Foi apanhada na lixeira com dois dias de vida, a 4 de Julho de 2000. É surda muda mas consegue expressar um carinho muito grande pelos manos mais novos.
Foi a primeira bebé a abrir o berçário, porque os outros meninos já eram mais crescidos. Esta foi criada no cesto, com uma manta dobrada dentro, forrado com um lençol a toda à volta, na residência das Irmãs por não haver ainda condições no berçário para os bebés e foi assim que nasceu o berçário com a Ana Maria Carlos. A segunda foi a Adelaide, também apanhada na lixeira num dos bairros da cidade de Tete e o terceiro foi um menino, numa valeta, num dos bairros em Moatize ainda em trabalho de parto…”

GUINÉ-BISSAU
Projecto nº1/2017
“Pastoral da Criança”
D. Pedro Zili, Bispo de Bafatá, apresenta à APARF um projecto de apoio para a Pastoral da Criança. Este, tem como principal objectivo o combate à mortalidade Materno-Infantil, através da melhoria das condições de vida das mães e das crianças. São promovidas visitas domiciliárias, formação, pesagem, acompanhamento nutricional e hospitalar.
A Direcção da APARF deseja colaborar com a quantia de 7.500,00 Euros.

SUDÃO DO SUL
Projecto nº23/2017 “Apoio ao Hospital de Mapuordit”
O Ir. António Manuel Ferreira Nunes, Missionário Comboniano e enfermeiro, a trabalhar no Sudão do Sul, envia o relatório do último projecto aprovado pela Direcção e solicita novo apoio para o Hospital de Mapuordit. “ Venho por este meio, mais uma vez, pedir–vos apoio para a compra de medicação para o Hospital Mary Immaculate de Mapuordit- Sudão do Sul. Cada ano tem sido uma grande dificuldade encontrar os fundos necessários para conseguir adquirir os medicamentos precisos para cuidar e tratar os doentes neste Hospital. Em 2015, a vossa Associação ajudou-nos e esta bênção fez-nos chegar ao fim de 2016 apoiando muitos com diversas necessidades hospitalares. Agora, a guerra continua a ser um contínuo problema, as necessidades cada vez são maiores e o que conseguimos angariar nunca chega a nada…
Mais uma vez vimos bater à vossa porta e sem vergonha estender a nossa mão para vos pedir ajuda… pedimos para este povo que sofre não só de doenças, ou com feridas (causadas pela Guerra), mas com malnutrição.”
A Direcção da APARF deliberou atribuir a este projecto a verba solicitada de 15.000,00 Euros.

TIMOR – LESTE
Projecto nº24/2017
As Irmãs Franciscanas Missionárias de Nossa Senhora solicitam à APARF ajuda para a Missão de Laleia, em Timor-Leste.
“Estamos a desenvolver um projecto de Intervenção Social – Comunitário: “Mais Saúde”.
A área de intervenção geográfica do projecto, abrange três aldeias do Distrito de Manatuto: Laleia, Samalai e Cairui.
O objectivo geral do projecto é acima de tudo a dignidade humana, valorizando a realidade e ajudando a superar as necessidades com o nosso apoio em bens materiais, educacionais, de saúde e espirituais (…)
Apoiar as crianças carenciadas é uma das nossas prioridades para promover o seu desenvolvimento. Partimos de situações caracterizadas, na maioria dos casos, por fragilidades de diversa ordem: famílias desestruturadas, com fracos recursos financeiros, baixa auto-estima, desnutrição, abandono…”
A Direcção da APARF deseja colaborar neste projecto com o valor de 8.000,00 Euros.


Contribua para os projectos da APARF, através da Conta APARF nº 0557030331431 (CGD – Olivais/Lisboa) – IBAN: PT50 0035 0557 0003 0331 43165 e preencha o formulário aqui.